Ocorreu um erro neste gadget

sábado, 20 de novembro de 2010

“Cada criança sem Cristo é um campo missionário , cada criança com Cristo é um missionário”




Marcos 10:14. O Ministério infantil é importante para Jesus , isso é tudo o que temos que saber. Saiba de uma coisa , vc não esta perdendo seu tempo, as vezes nos que trabalhamos com criança raramente vemos o progresso na fé e na obediência de uma criança tão rápido como gostaríamos, e somos tentados a perguntar , vale a pena todo o meu esforço? Deut. 32.47 diz q vale a pena , nos nem temos noção disso ,  nosso esforço não é inúteis , não podemos , não devemos parar com esse trabalho mais sim multiplicar cada vez mais esse dom que Deus nos deu. Em Atos, vemos um pouco sobre a vida de Paulo , e ele sempre falava de  dificuldades, Lutas, mais ele não parou e ainda animava os cristão a continuar , a animar , a sustentar em oração uns aos outros. As vezes vc com tanto tempo de trabalho , ninguém nunca tenha ido ate vc e falado “muito obrigado por ajudar meu filho a aprende as escrituras”. Não espere isso , pq , a nossa recompensa vem do Senhor. Simplesmente coloque a Palavra de Deus no Coração das crianças eu sei que isso é um processo q leva tempo. Não devemos nos desanimar , principalmente com coisas bobas. Infelizmente para os israelitas seus descendentes esqueceram-se do ensinamento do senhor, nos tempos de Juizes surgiu uma geração que não seguiu a Deus e a nação morreu espiritualmente . A igreja atual também esta somente a uma geração da extinção . Se paramos de ensinar a Palavra de Deus para a próxima geração. O cristianismo morrerá. Essa é uma questão de vida ou morte para a nossa fé , para nossas igrejas, , para as nossas famílias e para nossa nação. Eu estava estudando e descobrir que antes de Hitler chegar no poder ele já estava trabalhando nas mentes das crianças e jovens a idéias dele , 10 anos antes , ai quando ele chegou ao poder o que aconteceu ? as crianças que ele já estava trabalhando eram os jovens atuais , e os jovens eram os adultos , par ele foi muito fácil , coloca suas idéias em praticas . Por isso o diabo tem investido muito nas crianças , exemplo, uma criança que aprende dês de pequena bruxaria , violência etc. será um adulto totalmente desequilibrado, incrédulo , e assim por diante e vai passando para a sua próxima geração através dos seus filhos.

Moises Por inspiração de Deus  concluiu isto. “ A Palavra de Deus é tão importante que; é a nossa vida. E a sua vida?”

 As crianças precisam de Cristo Hoje e Agora , antes que seus corações endureçam e se encham de incredulidade. Hoje não é só o jovem que recebe os bombardeio de sexo , rebeldia , violência , mentiras, bruxaria , religiões falsas , etc... o diabo esta cada vez mais investindo nos menores , eles tem sido bombardeado a cada dia.

Não esqueça , O seu ministério ( o ministério infantil) trabalha com o homem de amanhã , com o futuro da Igreja e da nação.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

GIZ DE CERA - RECICLAGEM

 





Material:


Forminhas plásticas, restos de giz de cera, recipientes de vidro pequeno.

Pode-se usar também aquelas embalagens de iogurte, vidros de geléia...o que desejar e que sirva como "molde".


Modo de fazer:






Divida os toquinhos por cores. Coloque os toquinhos de uma mesma cor no recipiente de vidro e leve para o microondas.Quem não tiver micro pode derreter no forno convencional mesmo, sem problema...a técnica é a mesma.
Vá colocando o tempo de minuto a minuto e verificando se o giz está derretido.




Quando o giz tiver derretido, retire do microondas e mexa bem com um palito, ou uma colher, para misturar toda a cor que acaba ficando no fundo. Espere esfriar um pouco antes de colocar nas forminhas, pois elas podem derreter se o giz estiver muito quente.

Leve as forminhas para o congelador por uns 20 minutos. O giz esfria e solta facinho da forminha.


 
 
Caso queira giz multicoloridos, é só colocar os toquinhos juntos e leve ao forno até derreter totalmente.

Atividades





terça-feira, 16 de novembro de 2010

A Importância do Indivíduo

Texto: 1 Coríntios 12.12-26

Material : Quebra-cabeça

Aula - monte o quebra-cabeça junto com os alunos , mais deixe uma peça escondida.

Mensagem: Veja essa figura. O que isto pode me dizer ? (crianças responde) falta uma peça nele. Sabe. um quebra-cabeça nunca é bonito assim. Sempre vai faltar alguma coisa. Mas ( vc coloca a poeça que escondeu) e agora , ele está completo ? Sabe, vc parece esta figura. voce faz falta . Para os seus amigos , vc é importante, para a sua familia, vc é importante para Igreja. sem vc , este lugares não estão completos. Vc é importante, pois faz muita falta , assim como faz uma peça no quebrcabeça.

Ideias par aulas

Historia Biblicas

http://www.historiasbiblicas.com.br/downloads.php

visual  bem legal , par deixa sua aula bem produtiva.

artes

http://www.tvcultura.com.br/x-tudo/arquivo/listadeartes.htm

Sugestões para enriquecer seu trabalho com as Crianças Pequenas

I - Faixa Etária: 0 à 1 ano de idade

1 - INTRODUÇÃO:
É bem verdade que nossas Igrejas, em sua maioria, ainda não possuem um espaço adequado para montar um berçário; mas precisamos nos esforçar e usar nossa criatividade para proporcionar aos nossos bebês um lugar apropriado para o seu bom desenvolvimento. É aqui que começa sua educação cristã ... Ao contrário do que muitos pensam, é grande a sua responsabilidade, professor(a)!
           
O bebê precisa de um local arejado, limpo, sem umidade,... Devemos proporcionar-lhe um ambiente saudável e aconchegante. Ele está percebendo tudo o que se passa ao seu redor apesar de ainda não poder verbalizar.
   
2 - DECORANDO SUA SALA:
Utilize desenhos relacionados à vida do bebê. Prepare-os em tons pastel que dão um ar tranqüilo ao ambiente. Você também poderá decorar com fotografias, móbiles, etc.
  
3 - BRINQUEDOS:
A escolha do brinquedo é algo muito importante. Os brinquedos não devem ser duros, nem pontiagudos. Tenha brinquedos de espuma (encapados com tecido ou veludine), borracha, tecido e similares, que não ofereçam perigo aos pequeninos.
 
As crianças nesta idade colocam, com freqüência, os brinquedos na boca. Sendo assim, eles devem ser esterilizados periodicamente.
 
4 - MÚSICA:
Tenha sempre uma música agradável no berçário. Você pode utilizar fitas K-7, instrumentos musicais e sua própria voz. Use ritmos diferentes, gesticule, bata palmas. Isso irá motivar o bebê para novas descobertas.
 
5 - DESENHO:
Só deverá ser dado quando o bebê estiver engatinhando ou sentando com firmeza. Coloque o papel no chão, lápis cera bastão (o mais grosso) e rabisque junto com ele.
 
6 - HISTÓRIAS:
O bebê ainda não compreende histórias como as crianças maiores. Você poderá mostrar gravuras, falar frases, palavras,... A criança irá, aos poucos, associando as formas aos sons.
 
7 - MOBILIÁRIO:
Procure mobilizar sua Igreja (através de campanhas, etc.) e envolva os pais, que são parte diretamente interessada, para equipar o berçário. É importante providenciar: berços completos, cadeirinhas para lanche, corrimão na parede (para aqueles que estiverem começando a ficar em pé) e trocador.
 
8 - HIGIENE PESSOAL:
Combine com os pais para que, a cada domingo, tragam copo, mamadeira e chupeta de seu filho(a) devidamente marcados.                   
 
9 - "PINTANDO O SETE":
Esporadicamente você poderá usar tinta com os bebês que já engatinham. Deixe-os manipular a tinta com as mãos e depois carimbar para confecção de cartões, ou para pintura de camisa em datas especiais (Dia das mães, dos pais, dos avós...).
 
Lembre-se:  Nesta idade a criança necessita de muita atenção e afeto. Mostre todo o amor que você tem ao conviver com estas crianças.
 
 
II - Faixa Etária: 1 a 3 anos de idade.
 
A criança nesta idade está descobrindo o mundo! É importante que o ambiente que a recebe seja agradável. Deve ser bem iluminado, o mais espaçoso possível, seguro e ventilado (sem umidade).
 
Como ela está percebendo tudo em seu redor, devemos ter um ambiente bem colorido (evitar tons fortes), alegre e arrumado (ela está captando tudo à sua volta, por isso a organização deve ser um fator observado por nós).
 
1 - ORNAMENTAÇÃO:
A porta da sala é o cartão de recepção. Lembre-se sempre de ter nela um motivo bem alegre.
 
2 - MURAIS:
Os murais não devem ficar em lugar muito acima da cabeça dos pequenos, senão não serão observados por eles. Também não devem ficar em lugares muito baixos para que não  arranquem as gravuras.
 
3 - ORNAMENTAÇÃO POR TEMAS:
A sala poderá ser ornamentada por temas, tendo o cuidado de não usar personagens de "quadrinhos" ou desenhos animados. Podemos escolher os bichos, por exemplo, e assim selecionar diferentes animais, espalhando-os pelas paredes da sala.
 
Ter cuidado para não confeccionar desenhos com tamanhos desproporcionais, onde a girafa é do mesmo tamanho que o cachorro por exemplo; nem esquecer de colocar o chão (grama, pedras), para que os animais não fiquem "flutuando".
 
4 - ORNAMENTAÇÃO POR "CANTINHOS":
Separa-se na sala lugares específicos para atividades específicas. Por exemplo: Cantinho da história, da natureza, da dramatização, da música, da Bíblia...
 
É importante procurar desenhos que sinalizem cada lugar. No "Cantinho" da história, por exemplo, ter desenhos de diferentes livros, das ilustrações e personagens. São imagens visuais que fazem lembrar, que remetem à história. No "Cantinho" da música, pode-se colocar desenhos, painéis, murais com figuras de crianças cantando, notas musicais, instrumentos, etc.
 
Observações:
a) Os desenhos ficam mais atrativos quando não estão colados na cartolina retangular, mas com a silhueta do desenho;
b) Os desenhos devem ser trocados periodicamente para evitar que as crianças percam a motivação.
c) Caso prefira desenhar e pintar as paredes, deve-se ter o cuidado de contactar um bom desenhista e um bom pintor.
 
5 - ORNAMENTAÇÃO TAMBÉM PODE VIRAR BRINCADEIRA!
Coloque um ou dois ganchos no teto de sua sala, prenda nele um fio de elástico de aproximadamente 1/2 cm de largura e pendure bonecos de pano, bolas plásticas (leves) envolvidas em papel celofane ou saco de estopa, e outros brinquedos. Deixe esse fio numa altura em que a criança alcance e assim possa puxá-lo, arremessá-lo, etc, brincando com a decoração.  
        
Também esses brinquedos devem ser trocados periodicamente. Tenha cuidado na escolha dos objetos usados. Observe se não oferecem algum tipo de perigo para a criança como serem muito pesados, muito duros, terem pontas, etc.
 
6 - CARTÕES RELÂMPAGO:
Selecione gravuras de revistas, as mais variadas possíveis: bichos, casas, famílias, gente, profissões, objetos, etc. Cuide para que as gravuras sejam bem legíveis e dentro da compreensão das crianças. Em seguida, cole-as em cartolina colorida fazendo uma moldura (procure fazer os cartões de cartolina todos do mesmo tamanho). Caso não tenha disponibilidade do material, cole em papel ofício; podendo colar, dependendo do tamanho da gravura, 2 ou 3 numa mesma folha de papel ofício. Neste caso, as gravuras deverão ter o mesmo motivo para  facilitar a compreensão e assimilação da criança. Procure equilibrar a disposição das gravuras na folha.
                     
7 - COMO UTILIZAR O CARTÃO RELÂMPAGO:
Você pode utilizar como se fosse contar a história. Faça uma rodinha, mostre um cartão de cada vez e vá perguntando às crianças o que estão vendo, qual o nome do objeto, onde se compra, para que serve,... Elabore as questões de acordo com as gravuras.
 
Eles também podem ser usados para fixação da história: selecione o cartão que tem relação com a história, cubra-o com papel celofane e prenda-o com fita crepe no chão. Deixe que a criança passe por ele pise, olhe e brinque... Caso rasguem o celofane, seja criativa! Utilize-o numa colagem em grupo!
 
8 - FAZENDO QUADROS:
Você pode colocar papéis de cores, estampas e formas diferentes para decorar o ambiente. Coloque-os na altura da criança para que ela manipule, experimente e visualize as cores, as formas, etc.
 
É provável que esses papéis não durem muito. A criança nesta faixa etária está em fase de experimentação e certamente irá colocar o dedinho, puxar o papel, etc. Não fique frustrada(o)!  Faz parte do seu desenvolvimento. Sendo assim, não coloque desenhos elaborados. Utilize papel de presente, papel laminado, etc, ... onde o papel por si só já é um atrativo.
 
9 - ORNAMENTANDO E CRIANDO COM O CHÃO:
Além dos cartões relâmpagos, pode-se utilizar brinquedos ou objetos cobertos com celofane ou saco plástico transparente para reforçar a história. Isso dará nova vida ao chão e colorirá sua sala! Lembre-se, não é uma ornamentação fixa! É somente para reforçar sua lição.
 
Caso você conte a história das 100 ovelhinhas, por exemplo, poderá selecionar gravuras sobre fazenda, ou um fio de lã, band-aid, folhas... Ou seja, algo que tenha ligação com a sua história.
 
10 - UTILIZANDO CORDAS DE NYLON:
Coloque ganchos nas paredes da sala , prenda neles cordas de nylon (de modo que formem um ângulo de 90º) e enfie aí alguns brinquedos como argolas, rolinhos de cabelo... Deixe que as crianças se divirtam deslizando-os sobre a corda.
                  
Os ganhos também podem ser usados para a criação de um varal onde o professor(a) pendura nele diversos objetos ligados à lição. Por exemplo, se a lição for Jesus acalmando a tempestade, pode-se pendurar no varal fotos de tempestades, de navios, etc.
 
Você também pode providenciar gravatas ou tiras, prendê-las no varal e fazer o balanço do barco. Cada criança pode segurar uma gravata, ou simplesmente sentir o movimento das tiras.
 
Uma outra sugestão é pendurar no varal tecidos (cortininhas), toalhas ou panos de prato, na altura do rosto da criança de forma que ela possa se esconder. Nessa idade ela ainda não tem noção do esquema corporal, por isso, quando cobre o rosto acha que ninguém pode vê-la; daí surge uma gostosa brincadeira de esconde-esconde. Pode ser utilizada, por exemplo, ao contar a Parábola da moeda perdida.
 
Observação: É fundamental que a professora(or) brinque com a criança em todos os momentos. Tenha um lugar reservado para expor os trabalhos das crianças na própria sala (ou próximo). É importante que elas vejam suas experiências. Nessa etapa a criança não está preocupada com o resultado final da atividade, mas com a vivência delas. Por isso, não faça os trabalhinhos pelas crianças, nem os critique: somente incentive a participação do grupo nas atividades propostas.
 
11 - ALMOFADINHAS, ALMOFADAS E ALMOFADÕES!!!
O uso da almofada é fundamental nesta faixa etária. Elas gostam de se recostar, deitar,... Isso torna o ambiente mais aconchegante e acalma a criança. Podem ser de várias formas, cores e tamanhos.
 
Sugerimos também a confecção de um "minhocão". Ele não só terá a finalidade acima, como também auxiliará no momento da história ou atividade delimitando o lugar onde você quer que elas façam a rodinha.
 
Observação: As almofadas podem ser feitas de retalhos coloridos.
 
12 - MODELAR:
Você pode fazer a massa junto com as crianças e mostrar a "mágica das cores" quando a anilina se mistura com a massa.
 
1ª Receita:
Ingredientes:
- 3 xícaras de farinha de trigo
- 1 xícara de sal
- 1/2 xícara de água
- 1 colher de chá de pó xadrez
- 1 colher de chá de óleo.
 
Preparando:
Dissolver o pó xadrez na água. Misturar a farinha com o sal e o óleo e ir acrescentando o líquido anterior até obter uma consistência de massa que não grude nas mãos. A quantidade de pó xadrez depende do seu gosto, se deseja mais ou menos escuro é só por mais ou menos pó xadrez. Se ficar muito mole é só acrescentar mais farinha de trigo. Para guardar, embrulhe num pano úmido e coloque dentro de um plástico. Esta massa fica muito boa para trabalhar nos primeiros cinco dias, depois vai formando uma crosta mais dura na superfície que é necessário tirar antes de começar a trabalhar.
 
2ª Receita:
Ingredientes:
(para mais tempo de duração)
- 4 xícaras de farinha de trigo
- 5 xícaras de sal
- 4 colheres de sopa rasas de alume
- 1 colher de sopa de pó xadrez
- 1 xícara de água
 
Preparando: Proceda como na receita anterior.
 
Observações:
a) Essa brincadeira serve para desenvolver a coordenação motora fina (das mãos). Pode ser utilizada para fixação da história.
b) Não se deve prolongar nesta atividade (mais ou menos 10 à 15 minutos). Cante músicas de diferentes ritmos (lentos, acelerados), e incentive as crianças a baterem na massa de acordo com o ritmo da música.
c) Sempre termine com música lenta. Ao término da atividade leve cada criança a guardar sua massinha no lugar previamente definido.
 
13 - TINTA GUACHE:
É uma pena que as igrejas utilizem tão pouco um material tão gostoso! Procure sempre adequar a atividade à lição. Nesta faixa etária não precisa utilizar pincel. A criança deve manipular a tinta com as mãos, os pés... Depois deixe que "carimbem” numa folha de papel pardo, cartolina, etc.
 
Por exemplo, na lição do Bom Samaritano, carimbar as mãos. Na lição do Caminho de Emaús, carimbar os pés.
 
Caso os "carimbos" sejam feitos por várias crianças numa mesma folha, escreva embaixo de cada "impressão" o nome da criança que carimbou. Depois coloque o título da lição, a data e fixe no mural.
 
Observações:
a) Algumas crianças não gostam de colocar as mãos na tinta. Não force, apenas incentive.
b) Quando for trabalhar com tinta, tenha outra pessoa lhe ajudando para que possa lavar as mãos das crianças.
c) Quando pintar os pés, coloque a tinta numa bacia. Você pode fazer uma passarela de papel de computador (interno) e deixar que caminhem sobre ele. Elas vão adorar! Para que tenham paciência de esperar a sua vez, coloque-os sentados e denomine a atividade de "desfile". Aplaudam cada criança que acabar de desfilar e dê a mão à criança para que não escorregue com a tinta.
d) Não dê desenhos delimitando o espaço para que a criança use tinta. Ela ainda não tem essa capacidade motora. Dê folhas lisas e grandes e deixe que aquele monte de tinta vire vaca, árvore, ou qualquer outra coisa! Caso a criança já verbalize suas idéias, você pode escrever o que ela expressou em seu desenho. Não complete a escrita. Só registre o que ela falar: uma palavra, duas, etc...
e) Para dar uma outra espessura à guache, coloque um pouquinho de trigo. Caso queira que fique lustrosa, misture cola branca (durante a atividade).
f) Procure utilizar papéis grandes e lembre-se de forrar a mesa com jornal para evitar a sujeira. O ideal seria usar aventais nas crianças para não sujarem as roupas. Mas se acontecer de se sujarem não se preocupe: a tinta guache é removível com água e sabão.
 
14 - COLA COLORIDA:
Como fazer cola colorida? Basta você acrescentar um pouco de anilina (em pó ou líquida) na cola branca. Sacudir o recipiente e, está pronto.
 
15 - ESPELHO MÁGICO:
Marque a folha no meio, coloque cola colorida somente de um lado, dobre e deixe que a criança bata a mão e "faça carinho" na folha. É indicado para a confecção de cartões.  Abra a folha logo em seguida e a atividade estará pronta. Também pode ser utilizada como carimbo, mas só deve ser desenvolvido com avental para evitar que manche a roupa.
 
16 - GRAFISMO I (com lápis cera):
O lápis cera deve ser tipo bastão (o mais grosso) para facilitar o manuseio. Os papéis devem ser amplos e de várias texturas (lixa, jornal, papel pardo, ofício duplo, etc).
 
17 - GRAFISMO II (com giz):
Molhe o giz antes da atividade para que fixe no papel. Caso haja espaço, deixe que desenhem no chão (quintal, pátio).
 
Observação:  Ficar de olhos bem abertos porque elas adoram pôr lápis cera e giz na boca.
 
18 - HISTÓRIAS:
As histórias podem ser contadas com gravuras, cartões relâmpago, fantoches, retroprojetor,... Procure sempre variar a forma de contar a história e gesticule, use expressão facial, varie a entonação da sua voz de acordo com a narrativa; dramatize, use sua imaginação!
 
Você também poderá confeccionar fantoches de vara. Basta selecionar os desenhos das personagens da história, recortar, colar na cartolina e prender um palito de churrasco atrás de cada gravura. Depois, encape uma caixa de sapato, coloque areia dentro (sem tampa), vá fincando as gravuras na areia à medida que for narrando a história. As personagens poderão se locomover dentro da caixa.
 
O ideal é que você tenha um lugar fixo para contar a história De preferência um local onde as pessoas não transitem e não tenha nada que possa distrair a atenção das crianças.
 
Conte história sempre no mesmo plano em que as crianças estão. Para isso o ideal é que você sente no chão.         Não se prolongue ao contar a história. Lembre-se: as crianças nesta idade têm pouca concentração.
 
19 - SUGESTÃO PARA GUARDAR LIVROS:
Utilize caixa de sabão em pó (ou outra de  tamanho e forma semelhantes); recorte a caixa na diagonal e encape com papel de presente.
 
20 - SUGESTÃO PARA GUARDAR REVISTAS:
Utilize caixa de biscoito (ou outra do mesmo tamanho): recorte em forma de "V", encape com papel de presente ou lustroso e ornamente.
 
21 - RECORTE E COLAGEM:
Nesta faixa etária a criança ainda não tem capacidade de utilizar a tesoura para recortar gravuras; assim, deixe que ela rasgue o papel com as mãos. Para que desenvolva a atividade, coloque a cola para cada uma delas, pois elas ainda não conseguem pressionar o tubo.
 
Ao contar a história da ovelhinha perdida, por exemplo, você pode fazer o pasto com papel crepom verde sobre o papel pardo.
 
Material:
- papel crepom
- papel lustroso
- papel celofane
- barbante (para colorir, molhe na anilina com álcool e coloque para secar).
- sucata (papelão, caixa de ovo, caixinhas).
- areia colorida (misture com anilina em pó)
 
Observação:  Caso você já entregue o papel picado, tenha o cuidado de recortar em pedaços grandes para facilitar a execução da atividade. O papel poderá ser colado amassado ou não. O ato de amassar também coopera para o desenvolvimento da coordenação motora fina (mãos).
 
22 - QUANTO À DISPOSIÇÃO DOS MÓVEIS:
As mesas, cadeiras e bancos devem ser pequenas, de forma que as crianças consigam sentar e levantar sozinhas. Certamente elas irão tentar subir nas cadeiras e mesa, por isso todo cuidado é pouco com esses pequeninos.
 
Você pode de vez em quando, mudar os móveis de lugar para tornar o ambiente mais atrativo. Os brinquedos não devem ser oferecidos todos de uma vez. Não misture brinquedos plásticos com brinquedos de madeira, jogo de encaixe com livros, etc. Você pode, por exemplo, colocar em cima da mesa revistas, em outro canto bonequinhos, e assim por diante.
 
Outra alternativa é "virar a sala de cabeça para baixo": vire a mesa e coloque os brinquedos dentro; nos pés da mesa pendure fantoches; outros brinquedos podem ser colocados dentro do banco(também de cabeça para baixo) que depois pode virar um trem. Coloque também em cima de tapete ou papel celofane. Bem, o importante é não misturar os brinquedos.
 
Observações:
a) ANTES DA AULA: É muito importante que o professor(a) chegue no mínimo com 20 minutos de antecedência. Se o encontro da Escola Bíblica, por exemplo, começa às 9h, ele(a) deverá estar na sala já às 8:40h para preparar o material e receber as crianças. É desrespeito para com as crianças, desleixo com a obra de Deus e pedagogicamente improdutivo (é uma coisa negativa) o professor(a) que não se prepara com antecedência e que vive chegando atrasado(a).
 
b) DEPOIS DA AULA: Depois das brincadeiras, jogos, lição e das tarefas terminadas ainda há muito trabalho! Coloque a garotada para ajudar. Procure uma música sobre ajuda e incentive para que  todos cooperem. Eles gostam de arrumar e guardar o material junto com a professor(a). Arrumar a sala deve fazer parte da educação das nossas crianças e deve ser também uma atividade agradável para a criança.
 
23 - BIG COKE COLORIDA:
Colorindo a sala: Coloque água na garrafa mais ou menos até à metade. Acrescente sabão líquido (detergente) e algumas gotinhas de anilina. Após, feche bem apertado e reforce com fita crepe.
 
Observação: Esta atividade deve ser executada junto com as crianças. Pode ser utilizada também para ornamentar a sala. Recorte tiras coloridas de crepom, celofane, ou outros objetos e coloque dentro da garrafa. Utilize essas garrafas também para criar bonecos. Coloque olhos nariz, boca. Em caso de boneca, coloque saia de elástico, para o cabelo pode ser usado a fita propriamente dita de fita K7, bombril, etc. Use sua imaginação!
 
Puxa! Tudo isso parece um sonho! Mas é devagar que a gente chega lá! Provavelmente seu espaço de trabalho está muito longe deste ideal, mas com o seu empenho, sua perseverança e seu amor, certamente você chegará lá! Não desanime.
 
III - Faixa Etária: 4 à 6 anos de idade:
Aqui procuraremos dar sugestões práticas para seu trabalho; agora para criança de 4 a 6 anos de idade. Trabalhar com esses pequeninos(as) pode ser muito prazeroso. Basta "arregaçar as mangas", informar-se, preparar-se, preparar o material necessário e deixar que a direção de Deus atue e a imaginação voe! Não tenha medo de usar sua criatividade e experimentar coisas novas.
 
Nesta idade de 4 a 6 anos, as crianças já possuem um pouco de concentração, mas precisam expandir sua potencialidade. Por isso devemos proporcionar um ambiente e atividades agradáveis e favoráveis a esse desenvolvimento. Aqui estão algumas sugestões:
 
1 - ARRUMANDO NOSSO "NINHO":
Utilize trabalhos em grupo para ornamentar a sala. Procure ter algumas prateleiras para colocar brinquedos coloridos, caixas com livros de histórias, revistas, etc. As caixas deverão ser encapadas da forma mais alegre possível. Nesta faixa etária eles já produzem bastante. Por isso, aproveite  essa disposição e faça exposição dos trabalhos ao final de cada unidade.
 
2 - REUNINDO NOSSA ARTE:
Você poderá comprar ou confeccionar pastas ou envelopes onde semanalmente as crianças guardarão seus trabalhinhos. Assim, ao final da unidade, todos poderão levar para casa as lições que estudaram na Escola Bíblica.
 
Não se esqueça:
- Coloque nome, data e título em cada trabalho, correspondendo a cada lição;
- Deixe que a criança ornamente seu envelope com um desenho livre, colagem ou pintura;
- Coloque também no envelope, em destaque, o nome da classe, da criança e das professoras;
- Os envelopes ou pastas podem ser confeccionados em papel pardo, cartolina, folha de computador, etc.
 
3 - MÚSICA:
A música é algo fabuloso! A criança gosta muito de cantar e fazer gestos. Por isso, selecione cânticos simples, bem ritmados, com linguagem de fácil compreensão e que esteja dentro da realidade da criança. Use bastante expressão corporal.
 
Não devemos utilizar cânticos com simbologia complicada pois ela está na fase do concreto. Examine as mensagens que estão contidas nas canções para que não escape algum conceito contrário à nossa fé, como por exemplo, idéias racistas, culto ao individualismo, teologias e doutrinas que ferem nossa fé e prática cristãs.
 
4 - SUCATA:
Sucata é material fácil de ser adquirido e muito rico e próprio para diversas criações. Você deve criar um estoque desses materiais. Junte rolinhos de papel higiênico, chapinhas de refrigerante, forminhas de doce, papéis de balas, caixas de sapato, de gelatina, de ovos... A partir daí você pode criar junto com as crianças: monte bonecos, árvores, casas, flores,...
 
5 - HISTÓRIAS:
Quem não gosta de ouvir histórias? Criança também! Criança gosta muito de ouvir boas histórias. Muitas vezes pede bis!
 
Contar histórias é uma arte! O contador de histórias precisa se aprimorar a cada dia nessa arte! Contar histórias não é mostrar gravuras e ler um texto. É se transportar para aquele acontecimento e vivenciar passo a passo essa maravilhosa experiência!
 
Observações: Para contar a história você pode utilizar:
a) Dramatização - Faça uma campanha e arrecade objetos da vida diária: chapéus, sapatos, casacos, gravatas, bolsas, guarda-chuva,...
b) Fantoches - de todos os tipos (de vara, de dedo, feito com meia, grandes, pequenos)...
c) Gravuras
d) Sonoplastia (separe antecipadamente objetos que farão sons específicos, de acordo com o texto: chapinha, moeda, sapato, buzinas, apitos)...
e) Você precisa lembrar sempre que história é coisa séria e também uma gostosa brincadeira. É preciso criar vozes para os personagens...
 
6 - COLAGEM:
Você pode usar os mais diversos tipos de material para essa atividade:
- Jornal, papel glacê, celofane, cartolina, papel ofício, crepom...
- Areia colorida (basta colocar anilina  colorida na areia e depois colocar para secar)
- Barbante (para colorir, basta colocar anilina com álcool)
- Cortiça, lã, etc.
 
7 - DESENHO/COLORIDO:
Criança gosta muito de desenhar. Por isso tenha sempre papel, lápis cera, lápis de cor, etc. Entretanto, não "sature" a criança com esta atividade. Às vezes por comodismo ou na falta de outras idéias e atividades, tornamos a repetir inúmeras vezes essa atividade que não nos dá muito trabalho. Assim, a atividade do dia acaba sendo sempre desenho livre e pintura. É importante proporcionar às crianças outros tipos de atividades, outras experiências.
 
Com 5 e 6 anos, as crianças já podem manusear tesouras (sem ponta), uma atividade interessante nesta fase é montar painéis e cartazes (elas podem desenhar e colorir numa folha e depois recortar para montar um painel conjunto ou procurar gravuras em revistas ligadas ao tema estudado, etc).
 
Você também pode utilizar giz molhado para desenho. Assim, o desenho não se apagará futuramente.
 
8 - PINTURA:
Pode ser feita com guache, com cola colorida, etc... Pode-se utilizar as técnicas de pintura a dedo, com pincel, pintura no corpo (mão, pé), etc.
 
Observação: Como fazer cola colorida? Basta colocar anilina na cola branca, sacudir e já está pronta para ser utilizada. E caso não tenha pincel, improvise: você pode utilizar cotonetes ou amarrar um chumaço de algodão no palito de churrasco.
 
9 - JOGOS:
Proporcione jogos para as crianças. Você mesma(o) pode confeccionar: O quebra-cabeça, por exemplo: selecione um desenho simples, de revista ou desenhado à mão livre, cole na cartolina e recorte em peças graúdas. Guarde em caixinhas de gelatina (encapadas) para não perder as peças.
 
Faça uma campanha na Igreja e restaure os brinquedos e jogos que estiverem necessitando de conserto. Ou adquira novos jogos.
 
10 - PASSEIOS:
O passeio pode ser mais que um momento de lazer, pode ser momento de descoberta! Organize um passeio com sua turma. Monte uma equipe responsável que poderá lhe auxiliar.
 
Veja o local e o transporte com antecedência e não esqueça de levar: água, lanche, brinquedos (bolas, cordas de pular, raquetes, etc), caixinha de primeiros socorros, violão, muita disposição e alegria...
 
11 - CRIANÇA GOSTA DE AJUDAR:
Nesta faixa etária as crianças gostam muito de cooperar. Escolha uma ou duas crianças para serem seus ajudantes. Seria bom que você fizesse um cartaz para fixar os nomes dos(as) ajudantes.
 
Não se esqueça: brinque com seus alunos(as). Envolva-se com eles(as) não só durante a lição, mas crie um laço de amizade e companheirismo.

cartaz

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Quando ignoramos as crianças nos tornamos responsáveis pelas conseqüências ruins que as cercam...

A fome do diabo pelas crianças é insaciável. Ele sabe o potencial dos pequeninos, por isso tenta impedi-las de conhecerem a Jesus. A Bíblia nos mostra muito claramente como Jesus as ama e se importa com elas e nos desperta para este chamado.

Chega de desprezá-las! As crianças são membros do corpo de Cristo. É tempo de investir no ministério infantil, em obediência a palavra de Deus: “Ide, por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.15). Toda criatura, inclui as crianças.

Sabemos que a base da personalidade das crianças é formada logo nos primeiros anos de vida. Assim como elas estão abertas para conhecer a Jesus, também estão para o mal.

“Até a criança mostra o que é por suas ações; o seu procedimento revelará se ela é pura e justa.” (Provérbio 20.11)

As crianças sempre foram alvos do diabo, pois ele sabe a importância de investir nesta fase da vida do ser humano. Podemos ver isso no livro de 2 Reis que conta histórias de Reis que começaram a reinar ainda crianças. Eles governaram de acordo com a influencia que receberam. Vale conferir a história de Manassés, um menino de apenas 12 anos, que influenciado pelas mentiras de Satanás, praticou o mal mais do que qualquer outro rei antes dele (2 Reis 21.1). A História de Josias foi diferente, ele começou a reinar com oito anos e fez o que era reto diante do Senhor, escolhendo andar nos caminhos de Davi (2 Reis 22.1).

Nossas crianças estão precoces, parece que a inocência está acabando mais cedo. A mídia é fortemente explorada pelo inimigo, sendo uma forte aliada para destruir a infância. Não é fácil! As pressões sempre foram e serão grandes, mas “maior é o que está em vós, do que aquele que está no mundo” (I João 4.4).

Diante disso e muito mais entendo que o evangelismo deve ser prioridade nas igrejas. Todos precisam de Cristo, começando pelas crianças.

De acordo com pesquisas o resultado efetivo de um trabalho realizado com crianças é de 90%. Mas infelizmente é investido apenas 10%. Desperta Igreja! As crianças precisam de nós. Somos responsáveis por elas. Somos responsáveis pelo crescimento da pedofilia, do abuso sexual desenfreado, pela violência, pelas torturas, pelo trabalho infantil que as escraviza. Quando somos omissos, não amamos de uma forma que elas entendam, quando não somos compromissados com elas e com a Palavra, quando como Igreja as ignoramos e as relegamos “às salinhas” para não atrapalhar os pais, quando não desenvolvemos um trabalho focado e adaptado à linguagem, nos tornamos responsáveis pelas conseqüências ruins que acabam acontecendo.

Acorda! É tempo de interceder pelos  líderes de crianças, de darmos suporte a eles. É tempo de sustentarmos e cuidarmos dos missionários espalhados pelo mundo, que dão suas vidas para evangelizarem as crianças, obedecendo ao chamado de Deus.

Peçamos perdão a Deus por termos impedido que as crianças se achegassem a Jesus. Pelo tempo em que as abandonamos. Pelo tempo em que a educação ficou por conta da TV. Por termos permitido que os amigos delas fossem os virtuais. Pelo descaso com o ministério infantil. Por termos permitido que o mundo investisse tanto nelas através de jogos, brinquedos, livros, filmes etc.

“Os Samuéis e Salomões da igreja se tornam sábios em sua juventude.
Os Davis e Josias são maleáveis de coração quando têm pouca idade.
Leia acerca da vida da maioria dos ministros eminentes e você com freqüência descobrirá que sua história como cristãos começou bem cedo.”
(Charles Spurgeon)

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Ideias par aulas 1

CASTELINHO FEITO COM PAPELÃO. UMA EXCELENTE IDÉIA PARA CONTAR HISTÓRIAS DO NOVO TESTAMENTO. QUE TAL HEIN?

Cuidados ao contar Histórias

Sempre podemos melhorar a nossa maneira de contar histórias para evitar desatenção ou desinteresse por parte das crianças. Alguns cuidados podem ser tomados. Vamos a eles:
 Nunca conte uma história que não interessa ao nível da classe.
É muito importante que as crianças estejam fisicamente bem próximas ao professor. De preferencia em semi-círculo.
 Conhecer bem a história. Não é bom que o professor vá para a aula sem antes se preparar. A criança com certeza vai notar que você está meio "perdido" e não vai se interessar muito.
Faça sempre um planejamento de sua aula. Com certeza você vai ver a diferença que dá preparar tudo com antecedência. A aula fica mais gostosa e tranquila e seus alunos aprendem mais.
Dê ênfase as partes principais da história.
Fale sempre em tom agradável, nem depressa e nem devagar.
 Evite cacoetes: Dizer sempre ao fim da frase: Não é? Certo? Entende? Compreende? Aliás... etc.


Creio que Nosso Senhor Vai abençoar muito sua aula e você vai ver o quanto contribuiu para o crescimento espiritual dos pequenos.



Que Deus os abençoe!

O Evangelismo infantil trabalha com o homem de amanhã, com o futuro da igreja e da nação.


" CADA CRIANÇA SEM CRISTO É UM CAMPO MISSIONÁRIO, CADA CRIANÇA COM CRISTO É UM MISSIONÁRIO"

congresso

Ministerio Infantil

sábado, 28 de agosto de 2010








“QUEM É O MEU PRÓXIMO?”

TEXTO: Lucas 10:25-37



Jesus quando aqui andou contou uma parábola muito impressionante, para mostrar quem é o próximo. Esta parábola está relatada em Lucas 10:25-35. Nós conhecemos bem a história:



Um homem viajava de Jerusalém para Jericó; ou poderia ser, viajava de São Paulo para Santos, ou Rio de Janeiro à Nova Friburgo;




No caminho ele foi assaltado por marginais que além de roubarem todos seus pertences, o maltrataram cruelmente, abandonando-o muito ferido, quase à morte.

Jesus contou esta história ao um doutor, "Intérprete da Lei" (V.25) a quem demonstrava que o único caminho para a vida eterna era o: "Amar a Deus em primeiro lugar e amar o próximo como a si mesmo. A isto o doutor perguntou: "E quem é o meu próximo?



Na história do Bom Samaritano, os indivíduos não são identificados pelos nomes, mas caracterizados pelas funções e ações. O homem assaltado é um anônimo: talvez um viajante, um desempregado em busca de trabalho; quem sabe um bóia-fria.

Enfim, é alguém carente, desprotegido, marginalizado, sem amigos, sem dinheiro, sem família - sem ninguém - a sós no mundo, como milhões de outros por aí. Lá está ele: Jogado à beira da estrada, caído na sarjeta abandonado. Entram em cena, então aqueles que tinham a solução do problema às mãos:





Um sacerdote e um levita. Diz a Palavra de Deus: "Casualmente descia um Sacerdote por aquele mesmo caminho" (V.31).

Você perguntaria: Será que o sacerdote parou para ajudá-lo? Não! A Bíblia fala que numa atitude de completo "desamor" o sacerdote passou de lado, ou seja, tentou ignorar aquela situação; procurou não se envolver, nem se incomodar com o pobre miserável.

Quem sabe o sacerdote havia trabalhado todo fim de semana; estava cansado e saudoso do lar. Queria ter o seu merecido repouso e ficar na paz, às sós. E afinal de contas o que tinha acontecido com aquele estranho não era da sua conta. A história continua:






"Semelhantemente um levita descia por aquele mesmo caminho, e vendo-o também passou de largo (v.32).

O sacerdote nem sequer olhou para o ferido viajante. O levita, quem sabe, preocupado, pois poderia ser um parente ou amigo seu, deteve-se por um instante, olhou-o, e como não o reconhecesse, passou de largo.

E lá estava o moribundo, quase a morrer. Será que ninguém se preocuparia com ele? Será que ninguém se importava? Será que ninguém tinha amor para dar?

Neste momento apareceu um estranho, um "inimigo”, ou seja, um samaritano, um estrangeiro. Ora, durante cerca de 800 anos os judeus não se davam com os samaritanos, porque em 722, Salmanezer ou Sargão II, reis da Assíria tomaram Samaria e substituíram seus habitantes por babilônios e sírios, que trouxeram suas tradições, crenças religiosas contrárias às dos judeus.

Os samaritanos eram inimigos, para os judeus, um foco purulento incrustado no seu território. Eram considerados como cães.

Mas, vejamos: Lá estava o moribundo; ele sentiu que alguém parou, desceu da montaria e se aproximou dele. Quem seria? Oh, impossível! Era um samaritano! E o samaritano compadeceu-se dele, curou-lhe as feridas aplicando óleo e vinho; e colocou-o em cima do seu próprio animal e o levou para uma hospedaria e tratou dele.
No dia seguinte tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: cuida deste homem e, se alguma coisa gastares a mais com ele, eu te indenizarei quando voltar.

Finalmente alguém viu o drama do homem abandonado; alguém sentiu por ele; alguém se envolveu, alguém ajudou. Por estranho que pareça, quem ajudou era um ser rejeitado, um inimigo, um cão.

Ao Jesus terminar o relato perguntou ao doutor da lei: "Qual destes três parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores?" V.36. O homem respondeu de imediato: "Aquele que usou de misericórdia para com ele" (v.37). Sua resposta estava correta. Então Jesus lhe disse: “Vai e faça o mesmo!” (v.37b).